24.8.04

A Pantera

Aonde essa garota vai,
assim tão decidida?
Os olhos castanhos
brilhando numa fome infinita
quer comer o mundo
cru e quente
enquento ainda está suculento.
Hoje não há tempo
que a hora do almoço só tem 30 minutos
e é preciso ir ao banco
resolver um assunto...
Sempre com passos muito firmes (firmes, mas nunca duros!),
da mesma firmeza elegante
demonstrada por uma pantera à caça.
Ela investe e alcança
derruba e abate o que queira
e quando escolhe.
Quanto a mim, mero homem,
olhos cobertos de dúvida e o coração perplexo
a quem foi dado vê-la em ação e em repouso
permaneço embebido na visão
e apenas faço seguir a lógica das coisas

-----------------------------------------------------------

Esse texto foi produzido hoje de manhã, mas surgiu a partir de uma série de recortes em observações, diálogos e processos q vêm se desenvolvendo ao longo dos últimos meses. O texto as consolida e sistematiza experiências, uma espécie de sumário. Não há muito o q explicar sobre o texto em si -- fala sobre uma mulher muito impressionante, obvio não?

Na verdade tive que reproduzi-lo a partir de um rascunho pq a versão final estava numa folha de papel solta q acabou ficando por aí... As diferenças, contudo, não são nada de tão drástico.

Um comentário:

Angelina disse...

Oi lindinho,
estou sem computador em casa, vc sabe.. e isso me impede de passar por aqui =(
tô na faculdade e tenho um monte de trabalhinhos pra fazer; assim q o meu computador resolver trabalhar novamente, eu leio direitinho os seus poeminhas e volto a postar, ok?!
beijos!

Te Amo.
Sua menina.